Dexter Wiki
Advertisement

As pessoas fingem várias interações humanas, mas eu sinto como se fingisse todas, e as finjo muito bem!
~ Dexter Morgan

Dexter Gleydson "Dex" Morgan é o personagem-título e anti-herói da série original da Showtime DEXTER.

Dexter era um esquivo assassino em série vigilante em Miami, conhecido como O Açougueiro de Bay Harbor, que visava e matava principalmente outros assassinos que haviam escapado da justiça. Seu método detalhado de matar permitiu-lhe evitar o sistema de justiça, livrando-se de qualquer evidência potencial.

A ironia da vida de Dexter foi que ele trabalhou estreita e afavelmente com detetives de homicídios e um especialista forense . Dexter, ele próprio analista de respingos de sangue, coletou, processou e interpretou evidências para o Departamento de Polícia Metropolitana de Miami . Ele costumava usar sua capacidade de acessar bancos de dados policiais ou adulterar evidências para obter vantagem pessoal.

Aparência[]

Dexter é um homem bonito, caucasiano, de 30 e poucos anos, com cabelos ruivos, olhos castanhos e algumas marcas de beleza. O comprimento do cabelo varia ligeiramente durante a série. É o mais curto na primeira temporada e o mais longo nas temporadas dois, três e quatro. Dexter geralmente tem uma barba de "sombra das cinco", embora na sequência do título do episódio dois em diante, ele esteja raspando o pescoço - com uma gota de sangue caindo na pia.

Personalidade[]

Criança[]

Dexter era uma criança gentil e brincalhona.

Adulta[]

Uma das características mais importantes de Dexter é sua necessidade de controle – de si mesmo e dos outros. Apesar de sentir frequentemente vontade de matar, Dexter demonstra uma quantidade incrível de autocontrole. Para sobreviver, é vital que ele restrinja seus impulsos obscuros e siga as regras do Código. Além disso, ele é muito organizado em todas as áreas de sua vida. Ele mantém sua casa limpa e arrumada, escreve relatórios de laboratório meticulosos e planeja cuidadosamente a maioria de suas mortes. Dexter reconhecidamente se autodenomina um “maníaco por controle”.

Outra característica de Dexter é seu senso de superioridade. Por seguir um código, ele acredita ter valores morais mais elevados do que os assassinos que mata. Ele justifica suas ações como “tirar o lixo”. Em uma ocasião Dexter até admitiu para Hector Estrada o assassino de sua mãe que ele nunca havia matado por motivos normais e pintou seu seguimento do Código e suas mortes como justiça vigilante para seu filho Harrison quando ele revelou suas razões para matar e seus desejos sombrios. No entanto, durante sua conversa final com Harrison, Dexter percebeu que não poderia mais se considerar moralmente superior a outros assassinos, já que ele próprio se enquadrava no Código agora e era apenas mais um assassino.

Dexter pode ser charmoso, mas é um mentiroso experiente e, na maioria dos casos, os espectadores deveriam confiar mais em seus pensamentos do que em suas palavras. Até Hannah chamou Dexter de “mestre manipulador”. Na época de New Blood, onde ele vivia sob um pseudônimo e fingia sua morte por quase uma década, Dexter mostrou ser ainda mais hábil em manipular os outros e agir como humano. Embora ele parecesse irritado com conversas triviais e interagindo com outras pessoas no passado, ele se mostrou muito mais habilidoso e à vontade para fazer isso. Mesmo durante esse período, a fachada de Dexter às vezes caía e ele ocasionalmente mostrava a mesma confusão sobre outras pessoas do passado.

Freqüentemente, ele se envolve em conversas pré-assassinato com suas vítimas. Com eles, ele pode compartilhar a verdade sobre quem ele é e saber que eles levarão seu segredo para seus túmulos aquáticos. Como o próprio Dexter observou, quando teve sua conversa final com Doakes, ele só conseguiu ser ele mesmo e se abrir com aqueles que estavam em sua mesa.

Exceto pela raiva, as respostas emocionais de Dexter geralmente fazem parte de um ato bem ensaiado. Na segunda temporada, ele diz a James Doakes que ele só tem uma “consciência pequena” e que seus sentimentos não podem ser influenciados porque ele não tem nenhum.

Dexter frequentemente faz referência ao seu sentimento interno de vazio. Na juventude, isso levou a tentativas de "sentir-se vivo". (Isso ocorre mais na série do que nos livros.) Quando adulto, ele gosta da adrenalina que sente ao perseguir, matar e escapar da captura.

Por muitos anos, Dexter viveu sozinho, não tinha interesse em romance e achou melhor evitar sexo. Ele aprendeu a ter cuidado com a intimidade porque geralmente quando uma mulher chega tão perto dele, ela se assusta. Mas ele sabia que precisava de um relacionamento para ajudar a se integrar à sociedade. Então, por isso, ele passa a namorar Rita Bennett (uma mulher abusada). A princípio, ele considera seu relacionamento com Rita parte de seu “disfarce”. Mais tarde, parece que ele se preocupa mais com Rita do que admite. Dexter eventualmente se casa com Rita (depois que ela engravida de seu filho, Harrison ) (Nos romances, Dexter tem uma filha biológica, Lily , em vez de um filho.)

Em sua narração, Dexter frequentemente se refere a “humanos” como se não fosse um deles. Mas existem falhas na armadura emocional de Dexter. Ele reconhece lealdade à sua família, especialmente ao seu falecido pai adotivo. A respeito dele, Dexter afirmou: "Se eu fosse capaz de amar, como teria amado Harry ." Após a morte de Harry, a única família de Dexter (até ele se casar com Rita ) é sua irmã adotiva, Debra Morgan . Em um episódio, Dexter repete comicamente em sua cabeça "Eu não vou matar minha irmã" (já que ela regularmente deixa seu apartamento bagunçado enquanto mora com ele). No entanto, Dexter não permitiu que seu próprio irmão, Brian, fizesse mal a Debra, pois Dexter "gostava dela".

Após o assassinato de Rita, Dexter percebeu o quanto a amava e ficou arrasado, desligando-se emocionalmente mais uma vez por um curto período. No entanto, a morte de Rita também causou uma mudança em Dexter, em muitos aspectos para pior. Embora ainda seguisse o Código, ele começou a se afastar dele, matando não-assassinos com mais frequência, sem sinais de remorso. Sua profundidade emocional também regrediu por causa disso, quando ele mais uma vez começou a agir como antes de se casar com Rita e ter Harrison. Seus desvios do Código chegaram ao ponto em que ele estava disposto a assassinar pessoas inocentes enquanto permanecesse livre, tendo estado disposto a matar LaGuerta para evitar ser pego, além de parecer pronto para atacar e matar Angela Bishop (sua ex- -namorada) para evitar ser preso. Isso finalmente culminaria com o assassinato de Logan, um amigo dele e do sargento de Angela, em um esforço para escapar de sua cela: ao contrário de quando ele matou Farrow e se sentiu culpado ao descobrir que era inocente, Dexter não mostrou absolutamente nenhum sinal de remorso ou culpa por matar Logan, até mesmo tentando justificar isso para Harrison.

Embora Dexter mate assassinos de forma cruel e ritualística sem remorso, ele muitas vezes deseja poder apenas levar uma vida normal. Suas tentativas de fazer isso foram infrutíferas no final. Parte do motivo pelo qual Dexter não conseguiu levar uma vida normal se deve em parte ao fato de ele realmente gostar de matar, embora afirme que só gosta da maneira como isso o faz sentir.

Curiosidades[]

  • Por parte de seu pai biológico, Joe Driscoll, ele tem ascendência irlandesa (devido o sobrenome irlandês Driscoll) e por parte de sua mãe biológica, Laura Moser, ele tem ascendência alemã (devido o sobrenome germânico Moser).
Advertisement